Páginas

Visitas - Let It Be...

quarta-feira, 5 de dezembro de 2012

"Ser capitã desse mundo, poder rodar sem fronteiras, viver um ano em segundos, não achar sonhos besteiras."



Então eu pergunto, o que é ser forte?

Para algumas mulheres, ser forte é ter conseguido não ligar para ele na sexta passada. Para outras, ser forte é ter conseguido vencer mais essa etapa da quimioterapia. Para algumas mulheres, ser forte é ter ido à academia todos os dias da semana. Para outras, é conseguir olhar para a imagem refletida no espelho, sem cabelos e pálida, e não chorar de dor, medo, ansiedade e saudade.
Algumas mulheres se sentem poderosas em cima de um belo salto 10cm. Outras quando fazem escova, colocam uma lingerie, passam rímel ou batom, saem com uma roupa nova, resistem ao brigadeiro dentro da geladeira, conseguem abrir aquele pote de palmito sem pedir ajuda para o vizinho, largam o cigarro, decidem começar uma vida nova e trocam de emprego, vencem o medo de barata ou simplesmente terminam a sexta-feira com tudo em dia.
E você, quando se sente poderosa?
Existem, ainda, as mulheres que lutam contra elas mesmas, diariamente. São as pequenas batalhas diárias, que ganhamos e perdemos sem ninguém saber, sem troféu, sem medalha, sem nada que não fortalece, já repararam?
A questão é que eu não sinto como você. A minha capacidade de superar, por exemplo, é diferente da sua. Temos tudo diferente: criação, vida, história, personalidade, valores, pontos de vista. Por isso, jamais posso julgar ou tentar imaginar como você reagiria diante de determinada situação. Muitas vezes, por imprudência, acabamos julgando o outro. "Ah, a fulaninha tem tudo na vida, é bonita, tem dinheiro, pode ter a carreira que quiser, o homem que quiser, não sei por qual motivo ela fica inventando doença e depressão." Nada preenche nossos vazios mais profundos. Então, sempre tomo muito cuidado ao dar palpite na vida de outra pessoa. Não sei o que ela já viveu, sofreu, passou. Não sei com o que ela teve que lutar, do que ela teve que fugir. Porque a gente sempre foge de algo. Tem gente, inclusive, que foge de si mesmo.
Você, assim como eu, já deve ter ouvido que o nosso fardo nunca é maior do que podemos carregar. Se acredito nisso? Não sei, mas é uma hipótese.
o que sei é que na hora do aperto descobrimos forças que jamais imaginávamos ter. E isso nos mostra que a capacidade de vencer existe, sim. Só precisamos não desistir.

Eu me sinto poderosa e forte quando deito a cabeça no travesseiro e consigo dormir com a consciência limpa, sabendo que tentei fazer o melhor que pude, ainda que não tenha sido o suficiente.

Nenhum comentário:

Postar um comentário