Páginas

Visitas - Let It Be...

sexta-feira, 23 de março de 2012

Porque quando a vida não anda lá essas maravilhas, nós podemos adoçá-la, com açúcar e com afeto.


Já me meti em muita enrascada e fiz muita merda nessa vida. Mas isso faz parte do processo de amadurecimento e do crescimento emocional. Porque é só levando na orelha que a gente aprende. Aliás, é só assim que eu aprendo, pois sempre escolhi os caminhos mais cheios de lama. Sou expert em fazer escolhas erradas. Em andar na contramão. Mas cada queda me ensinou a olhar pra frente. A gente não pode viver a vida olhando para o que passou. Seria muito mais cômodo, eu culpar aquele idiota que não soube me dar valor. Eu ficaria horas falando do quanto ele perdeu, por me deixar sair da sua vida. Mas prefiro me calar e deixar passar. Porque uma hora passa, dizem. Uma hora o tempo cura, insistem. Dizem por aí que o amor tudo vence. Mentira. Mentira pura. O amor é só uma palavra de quatro letras que dá certo pra alguns. Pra mim ele nunca deu, e isso não é novidade. Me pergunto: será que um dia vou ter essa sorte? Será que algum dia eu vou ganhar nessa loteria que é o amor? Porque eu achava que era ele. Que era com ele que eu ia casar. Que ele seria o pai dos meus filhos lindos e arteiros. Que nós dividiríamos as escovas de dente, as meias e a vida. Sabe quando você traça sua vida todinha com aquela pessoa: desde o café da manhã com mau hálito, vocês no mercado escolhendo a mistura do dia, o jantar de Sexta à noite. Domingo na casa dos pais dele.

Tudo, tudo isso, nunca nem chegou perto de acontecer. Foi desilusão total. Você começa a se decepcionar, a partir do momento que começa a se importar. Mas depois a gente aprende, que o orgulho e a maturidade nos protegem de um coração partido. Antes do amor ser feito de dois, ele é feito de um. Por isso, sozinha, eu sigo.

É clichê, mas eu vou falar mais uma vez: enquanto você depositar sua felicidade nas mãos do outro, tenha certeza que o resultado vai ser sempre um fiasco! Aprendi na marra: Não vou ser feliz quando escrever um livro. Não vou ser feliz quando tiver um filho. Não vou ser feliz quando perder dez quilos. Não vou ser feliz quando encontrar um amor. Não vou ser feliz quando ele largar ela pra ficar comigo. Não vou ser feliz quando comprar um apartamento. Não vou ser feliz quando for promovida. E se você viver de aluguel o resto da vida? E se você for estéril? E se você sempre tiver uns quilinhos a mais? E se você nunca encontrar aquele amor pra vida toda? E se ele nunca deixar ela? E se você passar a vida servindo os outros? Não dá pra dizer só-vou-ser-feliz-de-verdade-quando. Uma hora você olha pra trás, vê que o quando não chegou e percebe que passou os dias esperando por coisas que não vieram e jamais vão acontecer. Vai sentir raiva de si mesma. Vai ter vontade de se jogar pela janela. Vai se sentir minúscula, vazia, um nada.

E quer que eu te conte um segredinho? Você pode conquistar tudo que sempre sonhou e, ainda assim, ser infeliz. Conheço gente bem nascida, com casa, carro, profissão, filhos lindos, parceiro que trata bem e tem caráter e mesmo assim é infeliz. A gente vive atrás de alguma coisa. E muitas vezes nem sabemos que coisa é essa. Nomeamos, assim, só por nomear. Um sapato novo, um tratamento para espinha, aquela bolsa do Victor Hugo, a faculdade de medicina. Mas será que é isso que basta? Se vocês querem saber, eu quero muito coisas na minha vida. Eu idealizo demais, traço metas, pulo as 7 ondas no reveillón, faço até simpatia se preciso for. Quero ser reconhecida, quero ter uma filha chamada Bárbara e outra Manuela. Quero ter um labrador pra me fazer companhia quando eu estiver na TPM. Quero um amor, bem limpinho. Quero ver o pôr-do-sol com ele. Mas eu sou feliz. Procuro ver o que tenho de bom na frente, ao lado, no peito. Tenho gente que me ama. Tenho um trabalho que gosto. Mudei de vida, fui atrás do meu sonho, arrisquei muitas coisas, contrariei várias pessoas, não ouvi opiniões alheias e fui atrás do que meu coração gritava. Tenho amigos de verdade, eu sou escolhida e amada pela minha família. Tenho fé em mim, tenho Deus no coração.



Eu nunca vou ser perfeita. E sei disso. Mas quer saber? Sou tranquila. Só quero estar em paz comigo mesma. Só quero estar em paz com minhas imperfeições, pois elas também têm seu charme. Mas a primeira pessoa que você tem que seduzir é você mesma. Por isso é tão importante a gente se respeitar e saber exatamente o que quer. E o que não quer. O que espera do outro. O que espera da gente mesmo. Qual o nosso limite. Sem fechar os olhos para as belezas da vida. Porque tem muita coisa bonita por aí. É só saber enxergar.



Nenhum comentário:

Postar um comentário